O Adolescente e a Religião .






Eu, como adolescente, e tendo convívio com adolescentes assim como, sempre tive uma incógnita quando o assunto era Deus. Alguns estão empenhados na comunidade, participam de Grupos de Jovens, outros até são lideranças sérias. Mas, também há aqueles que nem querem ouvir falar desse assunto.
Entretanto, percebo a ideia de que a sintonia dos adolescentes com Deus deve acontecer livremente, sem pressões dos pais, amigos, professores, enfim, de toda a comunidade.
Cada ser nasce em circunstâncias que, de modo algum, são de sua escolha. A religião seguida pela família, ou respectiva ideologia, são impostas desde o  primeiro minuto da sua existência.
Enquanto a pessoa não consegue ter e expressar seus próprios pensamentos, é normal esta acreditar plenamente que, as crenças da sociedade em que se encontra inserida, são os verdadeiros credos em que todos deveriam acreditar
Porém, ao sair da infância, o jovem já começa a pensar com seus próprios instintos, acreditando, à partir daí, no que lhe interessa e convém.

Somos adolescentes, alguns até adultos, e é importante termos consciência de que a religião é portadora de significativa contribuição ética e espiritual no desenvolvimento do caráter e na afirmação da personalidade do jovem em desenvolvimento, porém, isso não quer dizer que você deva ou não seguir rigorosamente, apenas que reflita sobre o assunto.

O intuito desse texto não é fazer com que o leitor se sinta culpado por não seguir uma religião ou se sinta privilegiado por ter a sua definida, mas para que sirva de reflexão pessoal, já que nessa fase o adolescente está em construção da sua personalidade e isso, com certeza, sera útil um dia em sua vida, independe no que seja acreditado.

( Por Gustavo )
@thats_hot

5 comentários:

Dani disse...

sou espirita e não dou tanta bola como antes, mas até que vou lugares etc...

sabrina disse...

não sigo nenhuma religião. mas o espiritismo é que mais me "atrai " , mas tem coisas que não concordo .

Dany B. disse...

Meus pais são católicos,mais nunca sofri pressão pra ser também,fiz catequese por vontade própria,mais também pela diversidade de crenças na minha familia tive a oportunidade de conhecer e frequentar inúmeras religioes. Não sigo nenhuma,mais tenho meu Deus,e levo um pouquinho do ensinamento de casa religião comigo,e por enquanto estou em paz assim,acho que isso é o que imoporta!

Fabiana Guedes disse...

Puxa, que legal esse Blog e especialmente este Post. Sugiro a leitura do livro "A Cabana", independentemente da ideologia ou religião a que cada um seja simpatizante. No meu momento de vida - muito além da adolescência - o livro foi até mesmo um "certo alívio", com discursos e perspectivas muito diferentes do lugar comum sobre o que se fala de "Deus". Sucesso!

Anônimo disse...

acho a religião católica uma merda e prefiro aprender por conta própria. leio alguns livros, rezo algumas orações tradicionais e ponto. fico bem melhor acreditando em coisas REAIS.

Postar um comentário